Sindicato lança nota de repúdio

Nota de repúdio

Neste difícil momento pelo qual passamos, em meio a uma pandemia que, só no Brasil, atingiu a triste marca de 300 mil vidas ceifadas, observamos, em todo o mundo, medidas restritivas contra a Covid-19 sendo tomadas por parte das autoridades competentes.

Por aqui, hospitais públicos e particulares permanecem superlotados, equipamentos e suprimentos necessários para o tratamento dos doentes estão em falta e o cenário é de puro caos e desespero – que o digam as famílias e amigos dos que já se foram por conta da Covid-19.

Em Tubarão – e no Estado de Santa Catarina – no entanto, aparentemente as medidas de segurança parecem serem tomadas de maneira invertida, longe de parecerem “restritivas”.

Agora, a Câmara dos Dirigentes Lojistas e o Sindilojas do município decidiu emplacar uma “campanha” que supostamente irá destinar uma porcentagem de cada venda realizada no próximo sábado, com horário estendido, ao Hospital Nossa Senhora da Conceição.

Ora, acreditamos que contribuir de qualquer maneira com o maior hospital da região seja de fato um ato de nobreza, principalmente durante este momento caótico que vivenciamos. Infelizmente, qualquer arrecadação obtida e repassada pelo comércio não será de grande ajuda caso a abertura das lojas em horário estendido (no caso, das 9h da manhã às 17 horas) contribua para a infecção de ainda mais pessoas.

Neste momento, há uma fila de espera por LEITOS DE UTI de 75 pessoas só na região sul do Estado de Santa Catarina. E este número só aumenta.

É curioso observar que, até o último final de semana (20 de março), o comércio vinha mantendo as portas fechadas ao longo do sábado. Agora, surge a proposta do horário estendido até as 17 horas. Não fomos informados sobre uma redução do número de casos de infecção da Covid para que se justifique o afrouxamento das medidas restritivas. Pelo contrário, os casos só aumentam dia após dia.

Fica evidente, inclusive, que este afrouxamento das medidas restritivas por parte do governo do Estado só se deu por conta da pressão implacável dos empresários.

Portanto, repudiamos a decisão inconsequente da CDL e do Sindilojas de Tubarão e a falta de medidas mais rígidas por parte do governo do Estado de Santa Catarina – sem falar da falta de pulso firme no momento de proteger a população a quem representa, enquanto esta se encontra mais fragilizada.

Sabemos que a economia, sem sombra de dúvida, é fundamental para o crescimento e desenvolvimento de nossa região. Também sabemos que mortos não trabalham – e não consomem.