Farmácia Popular: Conheça como funciona o programa que pode ser extinto pelo governo

A extinção da Farmácia Popular está entre as medidas planejadas para o corte de gastos para a geração de orçamento na criação do novo programa social, o Renda Brasil que irá substituir o Bolsa Família.

A Farmácia Popular atende mais de 20 milhões de brasileiros por ano ofertando medicamentos com descontos de até 90%, ou gratuitos. A entrega desses remédios é realizada por farmácias credenciadas pelo Governo Federal.

São 31 mil farmácias credenciadas que recebem reembolso dos produtos comercializados. Porém, segundo Paulo Guedes, ministro da economia, esse programa não é bem aplicado já que contempla todos os brasileiros até aqueles que não necessitam do desconto.

Em defesa do programa, o presidente-executivo da Associação Brasileira das Redes de Farmácias e Drogaria (Abrafarma), Sérgio Mena, acredita que a Farmácia Popular deveria passar por ajustes como ofertar medicamentos apenas para pacientes que tiveram consultas no SUS, mas não deveria ser extinto.

Ele acredita que não cuidar das pessoas hipertensas ou com diabetes pode trazer sérios riscos futuros, já que essas doenças dão origem a uma série de problemas de saúde muito maiores e que sairão muito mais caro para o país.

Já a presidente da ProGenéricos, Telma Salles, afirma que o programa é de extrema importância para a redução de gastos da União com a saúde, já que controla doenças crônicas como afirmado no Plano Nacional de Saúde.

A Farmácia Popular foi criada em 2004 e está presente em quase 3.500 municípios. Atualmente, tem um gasto para o governo em cerca de R$ 2,5 bilhões.

O Plano Nacional de Saúde, documento que orienta ações do ministério da saúde até 2023, tem como plano expandir a rede de 75% para 90% dos municípios com menos de 40 mil habitantes.

De acordo com o mesmo documento, esse programa tem reduzido o número de internações e mortalidade por causa de hipertensão e diabetes.

Quais são as doenças tratadas com o programa Farmácia Popular?

  • Asma;
  • Doença de Parkinson;
  • Diabetes;
  • Glaucoma;
  • Hipertensão;
  • Entre outros.

Além disso, há descontos em contraceptivos e fraldas geriátricas.

Fonte: FDR, 25 de agosto de 2020