Neste dia 05 de outubro, Assembleia Geral!

Nos dias 24, 25 e 26 de julho realizamos assembleias de retirada de pauta para convenção Coletiva de Trabalho 2017/2018. Junto aos trabalhadores, discutimos reajuste salarial, calendário de Natal, contribuição para manutenção do sindicato e outros pontos pertinentes à Convenção Coletiva.
Em 02 de agosto entregamos nossa pauta de reivindicação aos sindicatos patronais, Sindilojas, Sincodiv/SC e SindiÓtica. Até o momento não tivemos nenhuma resposta .
As assembleias foram realizadas mais cedo este ano para possibilitar um período de tempo maior para as negociações. No entanto, os empresários, que sempre sugeriram iniciar as negociações mais cedo, aparentemente não estão preocupados. Será um efeito da Reforma Trabalhista, que entra em vigor a partir de 11 de novembro?

Portanto, convidamos você, trabalhador(a), a participar de nossa Assembleia Geral Extraordinária, que acontece na próxima quinta-feira, 05 de outubro, na sede do sindicato, em Tubarão, a partir das 12h30. Compareça!

Anular a reforma trabalhista em defesa dos trabalhadores

Desde que foi lançada no dia 7 de setembro pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), a campanha de arrecadação de assinaturas para a apresentação do Projeto de Lei de Iniciativa Popular (Plip) que revoga a reforma trabalhista tem tomado as ruas do Brasil.

A Reforma Trabalhista, Lei 13.467/2017, aprovada pela base parlamentar que apoia o Governo de Michel Temer na Câmara e no Senado, é um verdadeiro ataque aos direitos das trabalhadoras e dos trabalhadores brasileiros.

Para combatê-la, a CUT vai colher assinaturas para um Projeto de Lei de Iniciativa Popular com intuito de anular essa reforma e seus malefícios.

 

Mobilização para garantir 1,3 milhão de assinaturas

Aprovada na 15ª Plenária Nacional/Congresso Extraordinário da CUT, realizado de 28 a 31 de agosto, em São Paulo, o objetivo é colher até o dia 31 de outubro mais de 1,3 milhão de assinaturas, que representa 1% do eleitorado brasileiro.

Depois, as listas de assinaturas serão protocoladas na Câmara dos Deputados antes da entrada em vigor da reforma trabalhista, no dia 11 de novembro. O passo seguinte será pressionar os parlamentares a votarem esse projeto de iniciativa popular, que anula essas duas leis do governo Temer que acaba com inúmeros direitos trabalhistas.

A CUT disponibilizou um kit de coleta de assinaturas, contendo o formulário do projeto de lei, arte para banner e adesivos e uma cartilha com orientações para o preenchimento correto das listas. Esses materiais também estão disponíveis no endereço eletrônico anulareforma.cut.org.br

 

 “Em defesa da classe trabalhadora, anula a reforma trabalhista!”

Prepare-se para mais uma edição da Costelada dos Comerciários!

Convidamos você para celebrar o Dia do Comerciário (30 de outubro) conosco, em nossa 11ª edição da Costelada dos Comerciários.
Venha saborear uma deliciosa costela assada no fogo de chão e se divertir com muita música e descontração.
Participe, divirta-se e contribua para fortalecer ainda mais nosso sindicato.
Data: 29 de outubro (domingo)
Horário: a partir das 11h
Local: Águia Futebol Clube, Estrada Geral da Guarda MD, Tubarão/SC.

Lembramos que as camisetas estão disponíveis para os sócios a partir do dia 25 de setembro! 

Becks: liminar proibe trabalho no feriado de 15 de setembro

Atenção, trabalhadores da BECKS de Tubarão, Santa Catarina.

Por conta de liminar, está proibido o trabalho no feirão de AMANHÃ, dia 15 de setembro, feriado municipal em Tubarão.

A multa, convertida para cada trabalhador, caso a liminar seja desrespeitada, deverá ser de R$ 3 mil.

Confira a liminar, na íntegra, logo abaixo:

Grito dos Excluídos 2017

Neste Sete de Setembro, mais uma vez, tomamos a avenida Marcolino Martins Cabral, durante o Desfile Cívico, para gritarmos contra todas as arbitrariedades que vêm tomando conta de nosso país: as injustiças, o descaso e tudo o que promove este sentimento de indignação constante. É o Grito dos Excluídos, que reúne movimentos sociais e sindicais em defesa dos menos privilegiados.

Neste ano, o lema adotado foi “Por direitos e democracia, a luta é todo dia”, para mostrar a indignação e a desesperança da população brasileira.

Confira as imagens:

Temer assina decreto e trabalhadores podem ficar sem horas extras

O presidente Michel Temer assinou, na última quarta-feira (16), decreto que reconhece o setor supermercadista como atividade essencial da economia.

Com o novo status, o setor passa a ter segurança jurídica para contratar seus funcionários e negociar com prefeituras e sindicatos a abertura dos estabelecimentos aos domingos e feriados, em todo o Brasil.

A legislação que reconhece as atividades essenciais da economia brasileira, o Decreto nº 27.048, de 1949, não menciona expressamente supermercados em seu anexo, apenas pequenos mercados, como peixarias e padarias. “Todas essas atividades foram incorporadas ao sistema dos supermercados. E o fato de não estarem inseridos no rol de atividades essenciais fazia com que houvesse uma necessidade de negociação para que pudesse exercer sua atividade em domingos, feriados e horários especiais”, disse o secretário de Comércio e Serviços do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcelo Maia.

O secretário explicou que os municípios têm autonomia para legislar e que o funcionamento do varejo está sujeito a negociações, mas agora isso passa a ser legalizado automaticamente. “O decreto evita questionamento na justiça depois. Dá segurança ao supermercadista de poder contratar seu funcionário e alocá-lo para trabalhar em domingos e feriados”, disse Maia.

“Nós estamos modernizando [a legislação], não só em favor dos empresários, mas do povo brasileiro, que quer ir ao supermercado no feriado e nos fins de semana”, disse o presidente Temer, após assinar o decreto.

Se os empresários comemoram, resta aos trabalhadores temer. Este decreto impõe aos empregados(as) em supermercados o trabalho aos feriados sem a obrigação de um acordo prévio negociado pelo sindicato da categoria.

De acordo com os movimentos sindicais, o argumento de que esta decisão irá auxiliar na geração de empregos é uma falácia, não vai acontecer.

Trabalhar em lojas e supermercados já é uma maratona, mesmo com a lei atual. Pois Temer quer acabar inclusive com o direito a feriados para estes trabalhadores. Na verdade muitos supermercados já abrem em feriados. Mas para que isto ocorra, os trabalhadores recebem pagamento em dobro pelas horas trabalhadas. Agora Temer, reforçado pela mais corrupta bancada de deputados da história, assinou decreto que vai acabar com isto que ele chama “privilégio” dos trabalhadores nos supermercados. Ou seja, vai determinar trabalho livre também nos feriados e, portanto, acabar com as horas extras, transformando-as em horas normais.

Isto só não acontecerá se houver muita mobilização dos trabalhadores, que estão em vias de perder mais um direito. Junto à possibilidade do “trabalho intermitente”, aprovado com a “reforma trabalhista”, a situação do trabalhador torna-se ainda mais dramática.

Se os trabalhadores não quiserem, o patrão contrata outro e só paga estas horas específicas dos feriados. E ainda mantém sob ameaça os trabalhadores já contratados. “Se você não aceitar, eu contrato este outro aqui, que até topa trabalhar por menos”. Na verdade muitos aceitarão, porque o desemprego e a miséria aumentam rapidamente em todos os setores.

Se todos não compreenderem rapidamente que não há nada de bom pela frente e se juntarem para lutar, acabaremos todos sendo uma espécie de semiescravos.

 

 

Com informações de Agência Brasil e Plantão Brasil

Governo reduz salário mínimo para 2018

A revisão das projeções econômicas para 2018 levou o governo a reduzir o salário mínimo para o próximo ano. O valor de R$ 979 que consta na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) passará para R$ 969 durante a elaboração do orçamento.

A redução ocorreu por causa da queda na projeção de inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 2017. No fim de julho, o governo tinha revisado a estimativa para a inflação oficial de 4,3% para 3,7%.

Por lei, até 2019, o salário mínimo será definido com base no crescimento da economia de dois anos antes mais a inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), indicador próximo ao IPCA, do ano anterior. Como o PIB recuou 3,6% em 2016, a variação negativa não se refletirá no salário mínimo de 2018.

De acordo com o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, o valor do salário mínimo pode mudar até o início do próximo ano. Segundo ele, o Orçamento trabalha apenas com estimativas. “O salário mínimo só será conhecido em janeiro. Até lá, várias coisas podem mudar”, declarou.

Fonte: Congresso em Foco

Ação do Angeloni: confira se seu nome está na lista

Atenção, trabalhador(a): confira aqui a relação dos empregados que devem comparecer ao Sindicato do Comerciários para receber os créditos resultantes da Ação RTOrd 0002374-59.2013.5.12.0006 movida pela entidade em desfavor de A. Angeloni e Cia Ltda.

As entranhas desse país foram expostas, e são horríveis

(por Carlos Fernandes, do Diário do Centro do Mundo)

Michel Temer foi salvo na Câmara dos Deputados na votação que decidia sobre a permissibilidade de sua investigação por corrupção passiva pela mais alta Corte do país.

O arquivamento da denúncia na casa já era dado como favas contadas. Necessitando de apenas 172 votos entre “sim”, ausências e abstenções, a borda da pizza foi preenchida com o placar propriamente dito.

No Congresso Nacional mais corrupto e reacionário de nossa história, a maioria votou para que o presidente mais rejeitado de todos os tempos continuasse livremente a sua empreitada pela destruição do Brasil enquanto nação.

Aqui ainda não estamos no fundo do poço. O poço, aliás, não parece ter fundo.

Como absolutamente tudo nesse governo, o placar de 263 a favor do arquivamento contra 227 pela continuidade da investigação é uma mentira, o que torna as coisas ainda mais assustadoras.

É notório que se a quantidade de parlamentares inicialmente dispostos a votarem “não” fosse de fato esse, sequer votação haveria tido. Após garantida a retribuição pela farra das emendas, muitos assim votaram para não passarem pelo constrangimento público de defenderem abertamente o bandido Temer.

Ainda assim, a maioria daqueles que representam o povo brasileiro (e sim, nunca esteve tão claro que eles nos representam) não se resignou em mostrar para o país, em rede nacional, como de fato se faz política nessa terra de bananas.

Aos fatos.

Há pouco mais de um ano a presidenta Dilma Rousseff era defenestrada do cargo sob “crime” de “pedaladas fiscais”. Tida como uma presidente incapaz de negociar com o Parlamento, hoje os deputados mostraram a que tipo de “diálogo” são de fato condescendentes.

Por sua vez, acusado de favorecimento pessoal em cifras milionárias com toda sorte de provas inquestionáveis, Michel Temer foi gabaritado por seus comparsas no reality show da corrupção nossa de cada dia.

É a manifestação cristalina do que politicamente nesse país se entende por “justiça”.

Para piorar, uma vez que a nossa justiça, ela própria, é política, simplesmente não temos justiça, temos só política. E dessa qualidade.

Mas para que nem tudo seja leite derramado, queira ou não, na mixórdia desses tempos, a absolvição de Temer por essa gente é a mais gloriosa amostra da honestidade inquebrantável que acompanhou Dilma Rousseff durante todo esse período em que violentamente foi, em vão, cooptada a corromper-se.

Particularmente, nada me honraria mais do que ser considerado culpado se os que estivessem a me julgar fossem essa corja de corruptos.

Seja como for, acostumados a uma política sem lei numa lei sem justiça, está provado que somos um país com uma terrível vocação para a vassalagem.

Se por um lado é natural que a Casa Grande não queira perder seus privilégios, por outro é inconcebível que a senzala faça questão de querer permanecer senzala.

Por mais absurdo que possa parecer, a realidade de nossos dias comprova o quão subalternos somos enquanto povo. E não, os movimentos de esquerda não estão isentos de culpa.

É simplesmente inadmissível que num país de mais de 200 milhões de pessoas, num espaço tão curto de tempo, sem maiores contratempos para o governo, tenhamos perdido completamente a legitimidade democrática, os direitos trabalhistas, os investimentos em educação e saúde e a dignidade enquanto cidadãos.

É uma tragédia imensurável que exige uma análise sincera e aprofundada a respeito de quem deve realmente ser responsabilizado por tamanha ruína em conquistas sociais tão duramente conquistadas.

Do ponto de vista pragmático, Michel Temer não está errado em fazer o que faz. Na luta de classe, a sua posição é clara. Foi posto lá exatamente para isso.

É inútil esperar decência dos servos do capitalismo. No processo de acumulação de riqueza as coisas são como são. E não são belas.

Errados mesmo estão todos aqueles que ainda não perceberam a qual lado pertencem nessa guerra ou, sobretudo, o que se exige dessa contenda.

Na subserviência canina a leis injustas e sob a manipulação descarada dos grandes meios de comunicação, firmou-se uma massa de manobra gigantesca totalmente incapaz de questionar o seu verdadeiro papel na sociedade e completamente alheia ao seu enorme poder de mobilização e transformação.

De um lado ao outro, não há como negar que permanecemos à deriva de nossas próprias vontades.

Entre a falácia do combate à corrupção e a utopia de que a justiça social pode se dar sem uma profunda ruptura nas relações de poder estabelecidas, seguimos bovinamente para o destino de pobreza e humilhação que escolheram para todos nós.

Rasgaram à faca da traição a soberania desse país. Das entranhas expostas que restaram a nossa majestade, é triste perceber o quanto também é horrível a matéria de que essa nação é feita.

Filie-se e fortaleça-se!

Já parou para pensar o que representa sua filiação junto ao sindicato que o representa? Os sindicatos são uma importante ferramenta para os trabalhadores, apesar de muitos desconhecerem os benefícios de estarem filiados.

Sindicatos possuem um fim permanente, buscando a defesa dos interesses dos próprios associados e os da própria profissão que estes ocupam. Essas entidades têm, de forma coletiva, a força que uma pessoa sozinha dificilmente teria. Interagir com o seu sindicato é extremamente importante para o profissional, inclusive para lutar para que seus direitos sejam cumpridos.

O sindicato existe essencialmente porque cumpre uma função protetora ou defensiva do interesse dos trabalhadores, ou seus representados. Não lute sozinho! Some suas forças a outros trabalhadores, não fiquei só, fique SÓCIO! Filie-se!