Anular a reforma trabalhista em defesa dos trabalhadores

Desde que foi lançada no dia 7 de setembro pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), a campanha de arrecadação de assinaturas para a apresentação do Projeto de Lei de Iniciativa Popular (Plip) que revoga a reforma trabalhista tem tomado as ruas do Brasil.

A Reforma Trabalhista, Lei 13.467/2017, aprovada pela base parlamentar que apoia o Governo de Michel Temer na Câmara e no Senado, é um verdadeiro ataque aos direitos das trabalhadoras e dos trabalhadores brasileiros.

Para combatê-la, a CUT vai colher assinaturas para um Projeto de Lei de Iniciativa Popular com intuito de anular essa reforma e seus malefícios.

 

Mobilização para garantir 1,3 milhão de assinaturas

Aprovada na 15ª Plenária Nacional/Congresso Extraordinário da CUT, realizado de 28 a 31 de agosto, em São Paulo, o objetivo é colher até o dia 31 de outubro mais de 1,3 milhão de assinaturas, que representa 1% do eleitorado brasileiro.

Depois, as listas de assinaturas serão protocoladas na Câmara dos Deputados antes da entrada em vigor da reforma trabalhista, no dia 11 de novembro. O passo seguinte será pressionar os parlamentares a votarem esse projeto de iniciativa popular, que anula essas duas leis do governo Temer que acaba com inúmeros direitos trabalhistas.

A CUT disponibilizou um kit de coleta de assinaturas, contendo o formulário do projeto de lei, arte para banner e adesivos e uma cartilha com orientações para o preenchimento correto das listas. Esses materiais também estão disponíveis no endereço eletrônico anulareforma.cut.org.br

 

 “Em defesa da classe trabalhadora, anula a reforma trabalhista!”

Compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn